ijaci 3

Nos dias 17,  de 18 e 19 de Julho, o município de Ijaci (MG) recebeu a equipe do projeto Brincadiquê? Pelo Direito ao Brincar – Cata-vento para discutir as temáticas territorialidade e a função social do brincar. Na ocasião, participaram do 3° seminário, 45 profissionais que atuam em diversas áreas no atendimento à crianças e famílias.

No primeiro dia, aconteceu a formação exclusiva para as participantes do projeto, na ocasião, estiveram presentes 37 profissionais das 11 instituições participantes, em busca de compartilhar conhecimentos sobre o brincar. O palestrante Nélio Spréa e o técnico em assessoramento do Centro Marista de Defesa da Infância Diego Zadra, foram os formadores convidados. Nélio falou sobre culturas infantis e brincadeiras para a Primeira Infância, e Diego foi o responsável por mediar as discussões sobre território e concepção de família.

No segundo dia, a manhã teve uma formação voltada para os participantes abordando brinquedos cantados e aprendizagem musical, onde os presentes puderam relembrar cantigas e brincadeiras cantadas revivendo lembranças da infância.  A tarde houve um convite, feito pelos multiplicadores para que as famílias participassem da formação. Estiveram presentes nesse momento 22 adultos e 17 crianças.

“A atividade proposta foi muito interativa e pudemos recordar as brincadeiras que vivenciamos na infância, o que nos sensibilizou para olhar a criança e ver que o brincar é muito importante para o desenvolvimento, é preciso deixa-las se expressar”, relata Débora Girardelli, diretora da ONG Mães dos Frutos, uma das convidadas para a vivência com as famílias. O grande grupo construiu 75 bonecas abayomis.

Para a mãe de Naomi, de 3 anos, Letícia Moreira Luiz, o momento de brincadeiras promovido pelo projeto foi singular, “gostei muito da oportunidade de aprender novas brincadeiras para fazer em casa com meus filhos”. Entre uma discussão e outra, o palestrante Nélio Spréa realizou brincadeiras com os pequenos, e estes eram convidados a ensinar os adultos, que se divertiram juntos. “É muito importante o ato de brincar, pois brincando eu ensino meu filho de forma leve, naturalmente”, conta Graciele Helena de Paula, mãe do Davi de 4 anos.

Na sexta-feira (19) pela manhã houve ainda um momento de discussão com o Grupo de Trabalho, com representantes de cada uma das instituições participantes. O grupo discutiu a atuação do Sistema de Garantia de Direitos no município e estratégias para a defesa do direito ao brincar e fortalecimento de vínculos familiares.

“É muito importante que possamos nos unir para entender as necessidades da infância em Ijaci e que trabalhemos juntos”, afirma a conselheira tutelar Heloísa Raimunda da Silva. O encontro foi finalizado com encaminhamentos de ações propostas pelo grupo, que serão desenvolvidas até o próximo encontro, em Agosto.