O brincante Estevão Marques contribuiu promovendo a formação “Arte da música em movimento” para os educadores do projeto Brincadiquê? Pelo Direito ao Brincar. O mineiro, que hoje mora em São Paulo, é formado em música na Faculdade Santa Marcelina (SP), foi professor no The San Francisco Orff Course, nos Estados Unidos; fez o curso “Músicas e danças do mundo” na Orff Espanha; ministrou oficinas na Turquia, Colômbia, Argentina, Uruguai, Espanha, Itália e nos Estados Unidos. É autor da coleção de livros “Histórias que cantam”, coautor da coleção de livros Brincadeiras e brincadeirinhas musicais, lançada pela Editora Melhoramentos, além de diretor musical do CD/livro Muitas coisas, poucas palavras, de Francisco Marques (Chico dos Bonecos). Como se já não fosse muito, Estevão ainda integra o Grupo Triii, é contador de histórias, músico do grupo Palavra Cantada, além de já ter tocado com Chico César, Antonio Nóbrega e o grupo Barbatuques. Seu brinquedo favorito é a colher musical.

Realmente são as colheres musicais? O que elas têm de especial pra você?
Sim, sim, sim… as colheres viram aviãozinho, quando vai dar sopa para o bebê…nave, disco voador e agora instrumento de percussão. Quando fui conhecer a Espanha, um amigo me ensinou a tocar as colheres que tem um som bem parecido com o som das castanholas. Foi amor à primeira colherada. Descobri que as colheres percussivas são tradicionais em muitos países: Colômbia, Turquia, Canadá, EUA, Irlanda, Rússia, etc. Bom, peguei um pouco da técnica de cada um destes países e temperei as colheres com o ritmo brasileiro, surgindo, então, o Colherim! Podemos transformar as colheres em muitos instrumentos: agogô, pandeiro, reco-reco e até mesmo em tamborim. Para você que tem fome de música, pegue as suas colheres e bom apetite!

Como podemos reconhecer e identificar nos objetos do cotidiano brinquedos e brincadeiras musicais?
Brincar é muito “bão”, pão, mão de mofão será cotão! Os brinquedos com música fazem parte do universo infantil, neles estão inseridos toda magia e segredos da infância e da nossa tradição. Nos brinquedos e jogos as crianças aprendem os primeiros preceitos da vida e seus desafios: conhecer o próprio corpo (respiram, cantam, saltam, correm), conhecer novos amigos (diferenças e semelhanças), desenvolver a imaginação, a improvisação, a flexibilidade e a fluidez do seu pensamento. Como diz minha vovó “é bão de mais da conta”!

Como a experiência musical pode contribuir na transformação do adulto/educador em um adulto/educador brincante?
A criança se comunica principalmente através do corpo. Cantando e brincando, ela é seu próprio instrumento. Os pais e professores precisam fazer parte da “banda” para tocar junto com este pequeno e poderoso instrumento. Nas minhas Mirabôlancias musicais vivenciamos jogos e brincadeiras do mundo todo, instrumentos estranhos, percussão corporal e muita dança. Pronto, prontinho, agora você está preparado para entrar na “banda” junto com o seu filho ou aluno. O seu corpo comunica, a sua canção traz conhecimento uma brincadeira vale mais que mil palavras…

“A criança aprende a imitar. Imitando, aprende a inventar. Inventando, aprende a conhecer.” Chico dos Bonecos

Conheça um pouco mais o trabalho de Estevão Marques:
www.estevaomarques.com | www.grupotriii.com